Como avaliar os riscos e rentabilidades do Tesouro IPCA (NTN B)?

Para qualquer investimento que façamos é importante entender o risco x retorno e, naturalmente, escolher um investimento adequado a cada perfil de investidor.

Apesar do Tesouro IPCA ser considerado como Renda Fixa, com excelente rentabilidade – muito acima da Selic, existe o risco de perda de valor principal e este fator dependerá do momento da venda do papel.

Mas o que explica a desvalorização de um título de renda fixa?

A marcação a mercado, que tanto pode ampliar a rentabilidade, mas também reduzir o valor do principal.

Para esse exemplo, trabalhamos com as taxas aplicadas pela IB em 31/03/2021:

NTN B 2050 Taxa IPCA + 4% a.a.

NTN B 2028 Taxa IPCA + 3,40% a.a.

O IPCA nos últimos 12 meses foi de 5,20% ao ano e a previsão no Boletim Focus do Banco Central para os próximos 12 meses é de 4,80% a.a.

Considerando que esses papeis, para terem liquidez imediata, são negociados no mercado secundário, as taxas de juros mudam constantemente.

Vejamos alguns exemplos:

Vamos imaginar um investidor moderado com aproximadamente R$ 100 mil  que deseja investir em Tesouro IPCA:

Um investidor fez um investimento em 11 lotes de Tesouro IPCA a taxa de IPCA + 4 % a.a. para um papel com vencimento em 2050.

Isso significa que o valor principal do papel será corrigido pelo IPCA até o vencimento, e o cupom de juros é de 4 % a.a., pago em duas parcelas semestrais.

Ao transformarmos o índice IPCA + 4 % a.a. em valor, temos um preço unitário de R$ 4.716,64. Sendo assim, se alocarmos para um investidor 11 lotes desse papel, fará um investimento de R$ 51.883,04 ao total.

Mas onde está o risco?

O risco ocorre no momento do resgate!
Como as taxas no mercado secundário mudam constantemente, vamos imaginar que a taxa de juros suba, e esse papel atinja a taxa de IPCA + 4,60% a.a., transformando a taxa em preço, temos um lote valendo R$ 4.306,26, logo, o valor do principal de 11 papeis corresponde a R$ 47.368,86, uma “perda” de aproximadamente 9 %.

Mas por que a “perda” entre parênteses?

Considerando que esse não é um investimento de curto prazo, e que o investidor permaneça pelo menos 1 ano com esse investimento, se considerarmos que nos últimos 12 meses o índice IPCA foi de 5,20% e somado isso ao cupom de juros recebido de 4%, temos juros no total de aproximadamente 9,0% a.a., logo, igual a “perda” com a venda do papel.

O risco é na venda. Quanto mais tempo o investidor ficar com o papel, maior a diluição de possíveis perdas e maximização de bons resultados. Se o investidor permanecer com o papel até o vencimento, sempre terá IPCA + 4 % a.a.

Mas e se ao invés da taxa de juros subir, ela cair, e o investidor precise resgatar os papeis, o que ocorre?

Vamos aos números:

Se a taxa de juros cair para IPCA + 3,80%, como esteve até um mês atras, transformando o índice em valor, temos preço unitário de R$ 4.866,26 por papel, logo, 11 papeis correspondem a R$ 53.748,86 – um “ganho” de aproximadamente 9%

Mas por que o “ganho” entre parênteses?

A resposta é simples. Primeiro motivo: pois o governo ganha junto com o investidor com recolhimento I.R sobre o resultado, na alíquota de 22,5%, que vai diminuindo ao longo do tempo que os recursos ficam aplicados, a chamada tabela regressiva.

O segundo motivo é: pode-se ganhar na venda do papel, mas deixa-se de obter a rentabilidade bem acima do mercado mantendo-se esse investimento até o seu vencimento.

O que pode ser feito para obter boa rentabilidade com o Tesouro IPCA minimizando os riscos?

Considerando que quanto mais longo é o papel, maior são os juros e as variações, é possível concluir que títulos de prazos mais curtos tem historicamente variações menores, porém menores também são as taxas de juros.

Enquanto um Tesouro IPCA (NTN B) com vencimento em 2050 remunera em IPCA + 4 % a.a., os papeis com vencimento em 2028 remuneram hoje IPCA + 3,40% a.a.
Um investimento em 12 lotes, corresponderia a 12 x R$ 4.106,27 = R$ 49.275,24

Seguindo o mesmo exemplo, vamos imaginar a taxa de juros subindo para IPCA + 3,80 na NTNB 2028, no momento do resgate. Logo transformando a taxa em valor, temos R$ 4.010,15 por papel, temos o valor total de R$ 48.121,80, uma “perda” de aproximadamente 2%.

Porém se a taxa cair para IPCA + 3,20 no momento do resgate, temos um papel valendo R$ 4.155,44, logo, R$ 49.865,28 de valor total, um “ganho” de quase 2%.

*Todos os cálculos relativos as simulações têm como base as taxas aplicadas em 31/03/2021

Apenas para fechar os cálculos, aproximadamente R$ 100 mil em investimento em NTN B hoje, sendo metade em NTN B longas e metade em curtas, temos:

11 Lotes de NTN B 2050 IPCA + 4% a.a. R$ 51.883,04
12 Lotes de NTNB 2028 IPCA + 3,40% a.a. R$ 49.275,24

Total investido R$ 101.158,28

Nota: A IB cobra uma taxa de custódia de 0,10% a.a. pela custódia dos papeis.

Mas então, qual o melhor investimento?

Na IB entendemos que o melhor investimento é o que traz mais tranquilidade ao investidor. Naturalmente tranquilidade para uns pode ser uma taxa maior, e para outros um risco menor, ou mesmo uma mescla dos dois papeis. A melhor opção de investimento sempre dependerá dos objetivos e perfil do investidor.

Por falar em remuneração, vamos analisar um investidor com perfil moderado que não investe em Tesouro IPCA pois não gosta de “risco” e possui todo seu capital atrelado a Selic que hoje está 2,75% a.a., quanto deixou de ganhar em 5 anos?

Se você deixou todo seu recurso nesse investimento, é melhor não calcular, afinal, passado não traz felicidade e vamos pensar de agora em diante. É por isso que a equipe IB está aqui, fale conosco e bons negócios!

Confira outros artigos

Limite para corretoras de câmbio operarem em carteira própria sobe para US$300.000,00 por operação

Limite para corretoras de câmbio operarem em carteira própria sobe para US$300.000,00 por operação

leia mais
Investimentos: Conheça o Tesouro IPCA

Investimentos: Conheça o Tesouro IPCA

leia mais